segunda-feira, 28 de abril de 2014

Esse blog me faz feliz por diferentes motivos. O principal talvez seja o fato de poder voltar aqui e ler algo que eu gosto e que eu mesma gerei sei lá como.
Eu deletei meus velhos diários. O que me incomoda contudo, é a repetição. Eu pareço não aprender com os erros, eu pareço gostar de me machucar.
Mais uma vez eu deixei a vida pra última hora e ela cobrou seu preço. Não durmo mais.  Os pensamentos antes do sono me assombram e eu preciso me derrubar pra poder dormir sem ter que pensar.
Quando eu era apaixonada pelo you know who, eu costumava escrever sempre, sobre tudo, e isso me ajudava a ir além daquela dor e me enxergar melhor. Escrever afinal é terapia. E como alguém que não faz algo há muito tempo eu ainda preciso achar meu tom. 

Tem muita coisa acontecendo de uma vez. Tem o fato de que parece que eu não fiz nada da minha adolescencia quando o Ben pergunta qual o meu livro favorito. Eu não leio mais. Eu sinto falta dos meus amigos que me forneciam livros. Eu sinto falta de sentar na quadra com a cabeça deles no meu colo. A vida passa e é isso.

Eu to muito assustada com a vida agora, e deve ser isso que me dá essa azia que me impede de dormir, esse desconforto no estômago e no juízo. Eu nunca deixo o Ben dormir até tarde porque eu mesma perdi tal habilidade de só dormir.  E a privação do sono com certeza não ajuda. São 2h da manhã no Brasil e eu não posso acordar minha mãe pra ouvir uma voz que me acalme.

Por dez dias eu acordei do lado de alguém que me ama, por dez dias tinha um outro ser aqui pra me aquecer e me abraçar e me ajudar a saber melhor de mim. Eu li que o mundo não espera você saber melhor de si pra te cobrar algo de qualidade. 21 anos. Eu estou velha.

Odeio a expectativa dos meus vizinhos. Odeio saber que sou medíocre. 

Vou ver mais tv, uma maneira de escapar de pensar e de fazer. Mas estou feliz de vir escrever aqui, parece um primeiro passo. 

Nenhum comentário: