terça-feira, 13 de agosto de 2013

São quatro da manhã.

São quatro da manhã e eu não sou o prodígio que eu fui na infância.
Meu blog não é um sucesso como meus poemas infantis já foram.
São quatro da manhã e eu não sou excepcional.
Eu não sei fazer nada que alguém não saiba no meu curso da faculdade.
Eu quero desistir do meu curso e ir pra algum lugar que eu me sinta relevante no sentido de valer a pena.
Mas eu sou preguiçosa e procrastinadora.
São quatro da manhã e eu não fui dormir porque eu não quis.
São quatro da manhã e eu nunca fiz um filme.
São quatro da manhã e eu nunca fiz um cartaz.
São quatro da manhã e meu roteiro é ruim.
São quatro da manhã e eu não tenho um grande amor.
Ninguém vai dizer que me ama no portão de embarque.
Nenhum professor vai elogiar meu desempenho.
Meu chefe vai me demitir.
São quatro da manhã e eu sou um desperdício de tempo.
São quatro da manhã e minha sensibilidade é uma mentira.
São quatro da manhã e eu não escrevi um livro.
São quatro da manhã e eu perco as melhores oportunidades.
São quatro da manhã e não é possível que eu não possa fazer diferente.
São quatro da manhã e a vida é uma bela de uma falta do que fazer.

Nenhum comentário: