terça-feira, 26 de junho de 2012

Birdhouse

A escova de dentes no copo sobre a pia não era minha. Quando eu entrei lá pra me recompor percebi que eu nem queria que fosse.
Mas eu saí sem bater a porta, sem te dar outro tapa, pedindo delicadamente pra você se afastar. Acho que eu não tinha tanta moral aquela altura do campeonato. No entanto eu devia tê - lo feito. Devia ter te feito sentir a culpa que te cabe em vez de te deixar me dar tapinhas motivacionais nas costas. “Fica assim não. Vai dar tudo certo.“ O problema é que eu sou só essa menina que é muito boa pra arrumar a vida dos outros, mas nunca sabe o que fazer com a dela. Você é só um porco, e eu torço loucamente pros outros porcos não serem tão carinhosos e convincentes como você.
Eu disse que talvez eu chorasse (lágrimas por ninguém, só porque é triste o fim) porque um dia daqueles chorei. Chorei como eu nunca tinha feito, aos soluços. Uma dor desconhecida e incontrolável. Eu também já te disse que as principais lições que tirei de ti foram a base do sofrimento. Eu nem sei porque eu voltei lá.
Só sei que agora é daqui pra frente. Vá dormir com os seus erros, porque eu sei que a única que fica acordada pensando neles sou eu.

Nenhum comentário: