segunda-feira, 21 de março de 2011

Post sentimentalóide de origem atualizativa

Para escrever, esteja certo, é necessário viver ou ao menos sentir. É estranho perceber, mas eu ando meio dormente. A vida se abre, todos os dias, e eu a assisto da janela do ônibus no trânsito engarrafado, mas nada me prende. Nada além da certeza de que o mundo está cheio de mais e que eu nunca vou chegar a tempo pra aula de inglês.
O meu cantor de música brasileira favorito (ultimamente) se chama Marcelo Jeneci. E tem uma única razão pra ele ser fantástico; o sentimentalismo que transborda de suas músicas. É preciso se viver com o coração, ou ao menos a área do cérebro responsável por produzir as sensações e percepções que tornam as coisas indubtavelmente mais vívidas.
E eu sinto falta de me apaixonar o tempo todo, por todas as coisas. De estar ansiosa pra chegar em casa e terminar de ler o livro, de pausar a cena do filme só pra olhar bem para os personagens e dar um suspiro profundo e inebriante, de ficar feliz quando consigo pegar o ônibus com aquela menina de olhar misterioso, sempre tão distante, de esperar vê-lo passar.
O "amor" parece ser um sentido a parte, ou no mínimo, um intensificador dos outros. Então, tudo tem sido pateticamente óbvio, olho e só vejo o que a moldura clara e simples me deixa ver.

                                    Laura Lavieri e Marcelo Jeneci.

Se a gente se casar domingo
Na praia, no sol, no mar
Ou num navio a navegar
Num avião a decolar
Indo sem data pra voltar
Toda de branco no altar
Quem vai sorrir?
Quem vai chorar?
Ave maria, sei que há
Uma história pra sonhar
Pra sonhar

terça-feira, 8 de março de 2011

E se eu tivesse um tumblr





eu não colocaria essas imagens aqui, mas eu não tenho.

:)

quinta-feira, 3 de março de 2011

Sento na calçada e vejo a vida passar...


...Penso num passado e já posso afirmar Casa Caiada, não sou mais quem fui.




Olha eu aqui sem ter sobre o que falar.
 Senti saudades, isso não é tudo, 
mas é só o que posso dizer hoje.