domingo, 19 de setembro de 2010

    O telefene tocou e o meu coração quase saiu pela boca. Meu corpo experimentou uma forte dose de adrenalina e as minhas narinas queimaram quando o ar entrou tão de repente. Corri esperando que fosse você. Eu nunca imaginei sentir isso. Sempre achei coisa de mulherzinha. E você sabe o que eu e o meu pseudo-feminismo pensamos sobre tais inseguranças. Mas simplesmente não dava pra conter a enchente de esperança que me inundou. Contudo, não era o seu número que o display mostrava. Ri de mim mesma.

    Coloquei aquele CD de rock inglês e aumentei o volume ao máximo. Há todo um prazer secreto em tomar banho e saber que estou irritando o meu vizinho com o volume do som. Um sorriso bobo escapou-me. Pensei em tanta coisa enquanto a água escorria morna pelos meus cabelos, mas principalmente, esqueci de você. Saí descalça e molhei a casa toda. Dane-se. Adoro esse tipo de transgressão. Faz com que eu pareça...diferente. Isso me fez lembrar que da última vez eu saí sem dar tchau. Você sabe como eu gosto dessas... Não, você sabe de nada. Se soubesse as coisas seriam diferentes. Uma chamada perdida. Que droga, era você.

__________________________________________________________

Ré. Achei isso nos meus rascunhos, nem lembro quando foi que eu escrevi. Mas na falta do que postar, vai isso mesmo. É . Está incompleto, eu terminei ele em outro lugar. Não está bom. Essas coisas nunca ficam boas. Só presta aquilo que eu não posso mostrar. Ah, se eu fosse um personagem de mim mesma e pudesse escrever tudo o que vejo ao meu redor sem me importar com os que os outros iam descobrir sobre mim. Afinal o que eu falo sobre mim pouco diz ao meu respeito, mas o que eu falo dos outros me entrega por completo.

Essa semana foi complicada. Muitas provas e trabalhos, mas no final das contas tudo se ajeitou. Até parece que sentiram pena de mim. E eu devia estar dormindo pra passar o domingo estudando física.  Mas estou aqui. Porque eu tenho que postar. rs; Segunda tem prova e eu queria ser uma aluna menos medíocre. Não consigo. 

Olha, eu sei que passei 80% dos meus posts dizendo que eu estava postando de improviso e que eu ia me ajeitar. É que agora está mais difícil que nunca. Eu arrumei um monte de curso pra fazer e estou empurrando eles com a barriga. Nem queria fazer isso. Mas estou fazendo, então está mais complexo do que nunca sentar pra escrever coisas de modo que as idéias saiam organizadas. Vou parar por aqui, que o Levi está reclamando que eu escrevo muito. Vamos vê se ele usa o poder da amizade, lê e comenta.



Beijos

2 comentários:

Morgana Gomes disse...

Comenta é porra.
E eu gosti~~ muito (d)o texto *-*

Levi Moreira disse...

Li e me senti deprimido. Ah. By the way. Vc adora falar das pessoas.
Comentei amorê